O céu de Hamburgo, Alemanha

Esse post vai ser mais sobre uma reflexão do que sobre uma história. Uma reflexão sobre mudança.

Eu passei um tempo meditando em um monastério no Nepal e ali eu conclui algumas coisas sobre o tempo, eu sei, estamos falando sobre Hamburgo na Alemanha, mas tenha paciência comigo.

O que difere o presente e o passado são as nossas experiências e o acumular de histórias. Mas o que aconteceu no passado não pode ser mudado. Então porque nossas opiniões sobre o passado mudam? E algo que era especial antes deixa de ser?

Eu acredito que o acumular de informações, o conhecimento, o descobrimento, vem com o tempo e mudam a forma como a gente olha para as coisas e pessoas que antes estavam ali. As vezes porque elas mudam ou as vezes porque elas não mudam mas você muda. Você aprende, e se vai na direção correta, evolui. Ainda bem né?!

Mas tudo isso muda nossa perspectiva no agora, não no passado. Se desfazer de memórias boas do passado simplesmente porque algo mudou é desmerecer uma história. Eu digo isso porque eu não queria muito escrever sobre Hamburgo pq eu estava com uma pessoa que, por mais que na época eu gostasse, o tempo veio mostrar que a gente era completamente diferente um do outro. E por mais que hoje eu veja a Ive de Hamburgo como uma besta, isso não muda o fato que eu me diverti quando estava lá.

E que na real, por mais que hoje eu ache engraçado como o mundo da a voltas, eu não mudaria nada. Porque a gente aprende, a gente se conhece, talvez eu não tivesse os ideias que eu tenho sobre um relacionamento hoje se eu não tivesse conhecido alguém que me mostrasse algo que eu descobrir ser o que eu realmente não quero. Se permitir sentir é uma coisa maravilhosa. Se permitir errar, experimentar, na moral, fazer merda, é a melhor forma de aprender sobre a gente, sobre o que queremos, e principalmente, sobre o que NÃO queremos.

Viajei muito?


✉️ Quer receber mais histórias de viagem no seu e-mail?
Se inscreva aqui

Contribua com o meio ambiente

  • Leve seu lixo
  • Recolha lixo se for possível
  • PRESERVE SEMPRE A NATUREZA

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *