Minha viagem pra Praia Grande, SP

Sabe quando você está no seu bar favorito por horas e ai no momento mais expontâneo vem aquela idéia digna de uma tarde ensolarada?
Praia Grande.

Num belo 30 de dezembro de 2013, eu as meninas estávamos, religiosamente, numa mesa de bar conversando sobre a fatalidade de passarmos a virada de ano em casa devido a um fator desagradável chamado falta de dinheiro. Depois de alguns conjuntos de 60 minutos, a gente pensou com os nossos neurônios, mano, se a gente pegar um busão amanhã dia 31 e voltar no dia 1º a gente passa a virada de ano na praia e nem vai gastar muito dinheiro. Brilhante.

Confesso que existe uma exímia possibilidade de estarmos todas levemente muito embriagadas, mas o que é um detalhe? Detalhe que ficou bem claro quando a gente entrou na rodoviária e pediu uma passagem pra praia no dia 31 e volta no dia 1º e a atendente perguntou:

– Qual praia?

Oi? Tem isso agora?

Eu acredito que nesse momento o nosso cérebro, ou bugou ou já estava na praia, de qualquer modo, o bandido estava ausente. Mas, porém, contudo, entretanto, não entremos em pânico, o carma é sempre a favor dos embriagados de bom coração. E antes que a gente se desse conta, a atendente avisou que o único lugar que tinha vaga pra ida e volta no dia 31 e 1º era a Praia Grande.

Olha que coisa amiguinha! Era nessa mesmo ai que a gente tava pensando. Ve 3 de ida e 3 de volta.

No dia seguinte eu acordei com uma sensação estranha, de quem não sabe se fez merda ou inventou a internet. E numa conversa com os outros seres humanos, decidimos em conjunto que a gente era genial e a gente deveria estar se arrumando pra pegar o busão.

Três horas depois a gente estava chegando na praia e se abundando para ficar por ali até o dia seguinte. Depois de muitas horas de sal de água do mar, cerveja, suor, areia, risadas, e muita gente boa, nós percebemos que a gente ia realmente precisar de um banho. Bora nóis tentar achar um hotel. No dia 31 de Dezembro. Na praia.

Adivinha?? Tudo lotado.

Eu não lembro exatamente em quantos hosteis / hotéis a gente foi pra ver se tinha lugar, mas eu lembro de sentar em uma cadeira jogada na rua e aceitar o destino de que a gente ia ter que passar a virada suada, suja e provavelmente assada por causa de todo o sal do mar.

E no meio do nosso desamparo, mas de bom humor, claro, sempre, um tiozinho que estava por ali ouviu nossa conversa e nos ofereceu um chuveiro, olha que alma santa nesse mundo! E não só o chuveiro, ele também ofereceu o quarto da irmã, que estava viajando e era num cômodo separado da casa. Abençoado sejam!
O carma é sempre a favor dos bêbados de bom coração!

Banho tomado, cama garantida, agora decidir a janta: cerveja ou sólidos? Naaah, a gente come um salgado e forra com cerveja. Assim já entra no ano novo de dieta, com novos amigos e na praia.

Ano velho vai, ano novo vem, fogos de artifício, 7 pulinhos no mar e assim foi a minha primeira virada de ano na praia. Tudo passou tão rápido que assim que a praia ficou vazia, e a gente ficou feliz de mais por ter um lugar pra onde voltar.

Dia 1º de Janeiro. Novo dia, novo ano, novas cervejas a serem tomadas. Então bora pra praia pra começar o ano no jeito. Despedidas a parte, a gente encontrou um cantinho mara pra ficar até o horário de ir pra rodoviária, aonde a gente tomou um banho no banheiro público, fez uma zona sem tamanho, e saiu correndo pra entrar no busão e capotar. Só pra acordar em Campinas com uma boa história e uma boa ressaca.


Receba novidades por e-mail!

Contribua com o meio ambiente

  • Leve seu lixo
  • Recolha lixo se for possível
  • PRESERVE SEMPRE A NATUREZA

One Reply to “Minha viagem pra Praia Grande, SP”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.