Minha viagem por Hamburgo, Alemanha

Linda cidade, cheia de rios, prédios de tijolos, feiras de natal (porque eu fui na época natalina, 😝) e muita cerveja boa, tudo perfeito né?! Mas não se iluda, eu sou capaz de fazer m***** até no meio dessa perfeição, afinal, sou eu quem vos falo.

Primeiramente, vamos falar do transporte. Maluuuuco, não tem nada de simples em pegar um trem em Hamburgo, que sempre muda de direção, as palavras são em alemão, (petulância sem tamanho de não estar em português 😂) e ninguém, eu repito, ninguém tem uma alma caridosa pra ajudar esta pobre brasileira que vos escreve.

Ou você pode agendar um tour gratuíto pela cidade e não se preocupar com isso!

Em um dos dias que sai pra turistar, acabei me perdendo na cidade e não fazia a menor ideia de onde estava (obviamente, porque se eu soubesse eu não estaria perdida 😒), então na esperança de me encontrar, tentei perguntar pra algumas pessoas que estavam passando na rua a informação de como chegar no metrô mais próximo. Humano, a maioria das pessoas simplesmente me mandavam passar e me olhavam com a cara de como se eu tivesse acabado de cagar na rua ao ousar me dirigir a eles.

Então não demorou muito pra eu desistir e sentar em um dos bancos me sentindo derrotada e refletindo sobre a razão de existir, o que fazer da vida e como raios eu ia voltar pra casa. Em algum momento entre minha imensa reflexão interna, uma senhorinha sentou do meu lado pra comer um lanche. Já quase sem esperanças e me sentindo mal em apenas estar viva, perguntei timidamente se ela sabia aonde era o metrô. Ela abriu o mais lindo dos sorrisos e me explicou onde era e como chegar lá. Perguntou da onde eu era e eu contei pra ela minha história. Ela riu e disse que me entendia perfeitamente. Ela não era alemã.

Mas não deixe isso te desanimar, se perder em cidades é sempre uma das melhores aventura, mas arme-se com um celular com bateria que você vai estar mais do que bem. Hamburgo é linda, e nos momentos em que eu estava perdida eu encontrei várias exposições de rua maravilhosas e praças com decorações lindas. A cidade em si é um charme que só, alguns dos lugares tem todo um ar mágico e romântico. Sou um pouco suspeita pra falar disso, considerando que sou apaixonada por prédios antigos e qualquer construção de tijolo e madeira, e se tiver rios ou lagos em volta, ai já era. É amor. E eu AMEI o centro de Hamburgo.

Uma das coisas que eu super recomendo é pegar um dos barcos que andam em volta da cidade, é tipo pegar um bus, e a paisagem é sensacional, a própria estação é um charme. E se você estiver com tempo, pare na “praia” antes de voltar. Ali você pode sentar em uma dessas cadeiras de praia enquanto toma uma cerveja e observa a movimentação. Esse é um daqueles momentos que você olha em volta, respira fundo e percebe que está feliz.

Quando eu fui estava um frio desgramento, então nada de bikini 😥e de mergulhar no mar. Se bem que eu confesso que mesmo que estivesse calor eu não entraria, ali é perto do porto então tem muito navio na água. Mas só a visita já super vale a pena.

Aqui vale contar uma experiência interessante que tive ali. Brasil e Alemanha tem diversas diferenças culturais, mas acredito que a mais “cômica” é referente a assoar o nariz. Veja bem, no Brasil o ato não é bem visto quando feito na frente de outros humanos, já na Alemanha pode. Agora, como se chama quando você tá com o nariz escorrendo e respira mais forte? Bom, esse ato é ok no Brasil, mas na Alemanha isso é bem mal visto. Tudo ao contrário né?! 😎😆

Sabendo que quando eu fui estava frio, adivinha como estava meu nariz? Precisando ser assoado claro. Nós estávamos sentados em uma dessas cadeiras de praia observando a movimentação com meu nariz escorrendo quando me ofereceram papel para assoar, eu como não queria levantar disse que não, mas aí me ofereceram com mais insistência. Ali meu amigo me explicou sobre a diferença cultural, então pra dar orgulho pra mamãe, peguei o papelzinho e fui levantando pra ir num canto assoar o nariz, mas fui advertida, já que assoar na frente dos outros é socialmente aceito, se eu saísse dali pra ir num canto e voltar todo mundo ia pensar que eu fui peidar. Como eu não peido nem cago nada além de flores, eu decidi assoar o nariz ali mesmo, maaaano do céu, eu me senti muito estranha assoando o nariz ali na frente dos outros.

Veja bem, eu acredito que se não fosse pelas circunstâncias, eu não teria dado a mínima, mas como eu estava ciente da diferença cultural e da novidade, o sentimento de estranheza estavam muito forte. Mas tudo sempre pode ficar pior. O meu cérebro bugou completamente quando eu terminei de assoar e comecei a abaixar a mão, eu estava em um debate interno enorme sobre o próximo passo a se tomar: olhar ou não olhar o papel. Mano, eu preciso saber como está o meu catarro. Saiu de mim, é tipo um filho, você precisa checar o estado de saúde!
Eu olhei, obviamente.
Amores, vocês dão aquela checada no catarro também?

Independente da cor do seu catarro, se você visitar a Alemanha na época do Natal você vai ter que lidar com o frio. Mas tirando esse fato horroroso, há certos lugares lindos e mágicos que você precisa visitar. Como por exemplo os mercados natalinos! Aaaa gente, tem nada mais charmoso que o mercado natalino. Sério. É tipo um filme, coisa mais charmosa e romântica do mundo, eles são montados nas praças da cidade e sempre tem um bom vinho quente pra acompanhar. Eu me apaixonei nesse lugar!

Mas não é só praça, vinho quente e romance nessa cidade não, ali também tem bar e festa! E um dos lugares mandatórios pra se visitar com esse propósito é a rua Reeperbahn. Ali é a rua do entretenimento. Tem vários bares, clubs e restaurantes, aqui que sua vida noturna deve ser. E o drink pra acompanhar essa aventura tem que ser o famoso Mexikaner, que segundo a minha falha memória é um ajuntamento de tudo que ta sobrando na geladeira, incluindo molho de tomate e álcool, não sei qual tipo mas desconfio que seja vodka. Parece nojento, mas é uma delícia.

Em uma das noites, depois de tomar um monte desses, a galera decidiu ir para um outro ponto turístico que você também deve visitar, de preferência mais sóbrio do que eu, o mercado de peixe. A gente foi lá pra comer o famoso sanduíche de… peixe? Não lembro, mas lembro de ter amado, até um certo ponto, quando eu percebi que devido ao frio eu não conseguia mais sentir o meu nariz eu comecei a entrar em pânico.

Gente, como assim eu não consigo sentir o meu nariz? Seis nem sabem o desespero que me deu não poder sentir o meu nariz, isso é tão moralmente incorreto! E no meio da minha sobriedade, o fato de eu não conseguir sentir o meu nariz me pareceu a coisa mais horrível do mundo, MALDITO frio! E com essa dor no meu coração de saudades do meu nariz, lágrimas no rosto, e levemente alterada pelos drinks de resto de geladeira, eu decidi que odeio frio mais que tudo nesse mundo e que eu tava indo embora pra um lugar quente. Comprei uma passagem pra Africa. Marrocos. Nem te conto que tava frio lá também 😭


Saiba mais sobre Hamburgo, Alemanha

Agende seus guias turísticos aqui!
Agende também um tour pela cidade gratuíto!

Contribua com o meio ambiente

  • Leve seu lixo
  • Recolha lixo se for possível
  • PRESERVE SEMPRE A NATUREZA

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *