Minha viagem pra Avignon, França

Bounjour França. Todo mundo vai pra França pra turistar e comer. Eu fui pra França pra saltar de paraquedas e beber. Quase o mesmo né?! 😅
Não me entenda mal, eu adoraria turistar e comer também, mas a carteira não colabora, então fazer o que, fiquei só por Avignon mesmo. E meu querido, amei cada dia por ali.

Vamos começar dizendo o famoso didato de que o que vale é a companhia. A melhor parte da França foi as amizades que fiz, uma pessoa mais especial que a outra. Mesmo antes de chegar lá. Por exemplo, eu fiquei sabendo da área por uma amizade que fiz na área de paraquedismo de Sevilha, na Espanha. Ele falou tão bem da área que eu resolvi prestar uma visita.

Pra começar a cidade é um xuxuzinho, é no meio da natureza, com várias vilas pequeninas e super charmosas ao redor, com rios, pontes e muros por todo o lado.

A escola de paraquesdismo é ótima, tem o dormitório, restaurante, área de dobragem e instrução, e uma área de pouso enorme com direito à lã aveludado para proporcionar um pouso com o máximo de conforto. França é outro nível benhe! 😘

Deixa eu te explicar direito. Veja bem, a área de pouso é enorme e mesmo assim, eu com toda a minha capacidade, estava quase sempre pousando fora. Não me julga hein, eu disse QUASE sempre pousando fora. Até o dia de hoje, que vos escrevo, nunca fiz um pouso fora da área.
UUUu troféu joinha pra mim! De me rosas, please!

Continuando, em um dos meus saltos eu ia, invariavelmente pousar longe, planejadamente claro, porque eu tenho um prazer enorme em caminhar horrores carregando o paraquedas pesado nas costas de baixo do sol quente. É o momento mais lindo do meu dia. E é por isso, e só por isso, que eu pouso longe. Não tem nada a ver com a minha capacidade de navegação, ok?! Mas que seja, estava eu, pousando DENTRO da área, quando decidi mirar em um monte de areia que tinha ali no canto do campo, vai ser mais confortável né, pensei com meus neurônios.

Tudo certo com a minha mira, quando eu percebo que meu alvo esta em movimento. Oi? Perto do chão, percebi que a “areia” era na verdade um monte de ovelhas. Bom, eu já estava muito perto do chão pra mudar minha rota, então resolvi fazer valer a pena. Mirei em uma, joguei o pé pro alto e fui a lá estilo bicuda, pronta pra trazer um jantar pro amigo Mario cozinhar pá nóis.

Plano perfeito, a não ser pelo fato de que a miséria das ovelhas, sairam tudo correndo. Acabei tento que pousar na grama mesmo, uma petulância sem tamanho desses animais querendo sobreviver a um ataque aéreo. 😤
Indignante. Mas enquanto eu ali me divertia, o pastor das ovelhas ali me odiava, as ovelhas correram pra tudo que é lado assustadas. E ali, eu tenho certeza que o que ele me falava em francês era uma agradecimento pelo futuro exercício a se fazer reajuntando o rebanho. O que é ótimo pra saúde gente, o plano perfeito para uma tarde ensolarada, é pra aproveitar o lindo dia. 😁

Mas pera, eu quero que voltemos para o início. Meu primeiro dia na área começou comigo saindo do carro do carona as 5 da madrugada e entrando em uma área de paraquedismo super cheia. Olha que coisa mais linda, uma área de paraquedismo cheia as 5 da matina de um sábado. Deve ter salto pra caramba essa área, penso eu indo pra recepção, deve ter uma vaga atrás da outra, me apresentando na recepção, deve ter uns trocentos paraquedistas, falando com a recepcionista, deve ter… oi? Não vai ter salto a manhã inteira?

Maaaaaas, como assim creusa? Ta cheio de gente aqui, tem um maluco ali equipado e tudo. E ai mano? E eu? Deixa eu pular do avião tia!
Depressão aqui batendo forte, não foi com a minha cara né?

Enquanto eu tava ali perdida nos meus pensamentos, sem entender nada do que tava acontecendo, indignada porque não podia saltar, um cara chegou, se apresentando todo cheio de pinta.
Aah beleza então, respondo.

Perguntei se ele ia saltar, e fique surpresa quando ele me disse que sim. Como assim jow? Acabaram de me falar que a área ta fechada!
Sim, mas é que eu sou Fulano.

… 😒 …

Oi? E EU SOU A IVE GAYA!!!!!


Ele, com um ar de decepcionado pela minha falta de reconhecimento, me perguntou todo pomposo: Aaah, vc não é daqui né?
Óóó my Gódi, nós temos um Sherlock aqui!

Disse que não, que era do Brasil.

Então ele me contou que era apresentador de um programa de TV, e que eles estavam ali pra filmar uma edição especial com ele saltando de paraquedas, por isso que estava tudo fechado. Mas que seria só pela manhã.
Também me falou que era de Paris e queria saber se eu ia visitar a cidade. Quando disse que ainda não sabia ele me disse que eu precisava ir, me deu o número dele e falou pra eu ligar pois ele iria adorar dormir com uma brasileira.

Na caruda maluco! O miserável vem pra saltar, ocupa todo o avião, por todas as decolagens da manhã e ainda não quer nem se dar um trabalho de gastar um xaveco? Esse povo é muito insolente.

Mas que seja, resolvi usar esse tempo pra colocar toda a minha documentação em ordem. Ai conversando com o instrutor responsável da área eu descubro que a minha linda licensa Categoria B, recém saída do forno, brilhante de tão nova, não era bem aceita por ali. E que eu precisaria fazer um salto com instrutor ali pra oficializar a mesma.

Veja bem, eu estou reclamando, apenas pelo prazer de reclamar, porque no final eu acho que foi ótimo. Uma porque foi assim que eu conheci meu querido amigo Mario, duas porque com isso eu comecei a saltar com o pessoal sempre, e eu acredito que ali foi aonde eu mais aprendi sobre Skydive. Os cara salta muito meu, não é a toa que eles são campeões mundiais quase todo ano.

Ainda sobre os meus saltos, depois de ter a minha licença RE aprovada, eu tive a oportunidade de fazer vários “primeiros” saltos. Primeiro salto sity fly e primeiro salto com um grupo grande. Meus amores, quando eu falo grupo grande, leia-se 6 pessoas 😅

Mas não foi beeeem o primeiro, o meu último salto no Brasil foi com 5 pessoas, não, melhor, foi com 5 Gods, ou seja, tudo instrutor, ai amiguinho, não importa se você voa mal, eles fazer parecer que é fácil e que tá tudo certo. Agora aqui na França, os cara é bom também mas não tão interessado em me fazer sentir uma super voadora. Então você pode imaginar, no salto, amiguinho, eu AR – RA – SEI. Arrasei em fazer merda 😂

Não consegui nem chegar perto do povo e quando cheguei um pouquinho, voei por cima de uma das meninas. Foi feio, mas aprendi minha lição, agora sou mais consciente a respeito do meu nível de paraquedismo, do nível das pessoas ao meu redor, e principalmente em relação ao número de pessoas no salto. Agora posso dizer com orgulho, sou uma merdinha menos fedida no nosso céu azul 😝

E assim eram meu felizes dias em Avignon, saltar alguns dias, trabalhar em outros, turistar as vezes, assistir filmes a noite, brincar com o Jack (o cachorro lindo maravilho do Mario) e comer. Comer, come-er! Comida que meu querido amigo Mario cozinhava, claro, por isso que era gostoso, se fosse eu seria uma desgraça, mas que seja, o Mario cozinha e eu lavava a louça, e era um acordo feliz.

E melhor, diversas vezes o pessoal da área se juntava pra comer, afinal o Mario é um baita de um cozinheiro. Em um desses jantares, como todos os outros dias, eu limpei o prato. Inocente de mais, rápido de mais, confiante de mais, alheia de mais aos olhares do pessoal na minha direção.

Assim que terminei eles me perguntaram se eu tinha gostado. Ai eu ja sabia né amiguinho. Mesmo a janta estando super gostosa, eu comecei a pensar no que poderia estar estranho. Que raios eu poderia ter comido. Imaginei as coisas mais cabulosas, então fiquei quase aliviada quando descobri que era apenas carne de cavalo.

Veja bem, nesse momento eu tive umas sinapses muito confusas no meu cerebelo. Eu cresci indo pra fazendo de meu vovô, e na fazenda de meu vovô há tres cavalinhos, o Baio, o Branco e o Vermelhão, (nomes super criativos que meu vovô deu pra eles). E eu amo esses cavalinho. Mas mesmo assim eu tava ali jow, comendo um camarada deles, sem nem mesmo me sentir super culpada. Sacomé né, ajudaria muito no quesito me sentir culpada se a janta não estivesse super gostosa. 😝 Fazer o que?!

Cavalos a parte, teve também muita cerveja, muito cigarro de palha, churrascos aonde aprendi a jogar beer pong (sim, porque é uma arte muito difícil de se aprender, a arte de jogar a bola de ping pong no copo quando já se esta bebada) e turistei pelas cidades ao redor, que tem como principais pontos turísticos as pontes da cidades.

Meu tempo ali foi tão legal que teve até bronca da polícia.
Turistando por Avignon, uma cidade cercado por muros, eu e o Mario começamos a nos questionar como seria a vista da cidade por cima dos muros. E como a curiosidade é algo que DEVE ser saciada, por uma questão de saúde, claro, a gente resolveu meio que subir mesmo sendo contra as normas pré estabelecidas pela sociedade. Maneira bonita de dizer que é ilegal. (sou do submundo agora, moro?)

Faça um tour pela cidade e seus melhores pontos turísticos: Clique aqui

Assim que subimos, conseguimos apreciar a visão por menos de um minuto até que dois policiais apareceram e mandarem a gente descer.
Amiguinhos, nesse momento todos os vídeos de abuso de poder policial passaram na minha cabeça! (Brasileira né?!) Senhor, agora que serei presa e deportada! E vai ser por subir no muro, que razão mais brochante pra ser deportada! Meu, eu ainda nem comi brioche! Será que eles dão brioche na prisão? Sei lá, aqui é França, talvez tenha brioche e croassant. 😂
Mas relaxe mamãe, não deu em nada. Só levamos umas bronquinha de leve e um pedido educado pra não fazermos mais isso. 😎

Então já que a gente não pode subir no muro, a gente foi pra ponte famosa da cidade. A ponte de Avignon, acredito que esse é o lugar mais famoso da cidade, e ali é que você pode aprender um pouco mais da história do local com um áudio que eles te dão.

Outro ponto turistico que vistamos foi a Ponte do Gard, que esta localizada um pouco mais longe da cidade, ela é definitavamente a minha favorita, sim, agora eu tenho ponte favorita, uma porque ela é no meio da natureza e não da cidade, outra porque você pode fazer umas trilhazinhas por ali e achar uns lugares super bonitos, e também pode levar o Jack pra passear e inclusive deixar ele nadar no lago.

Eu passei mais ou menos um mês ali. E entre muita cerveja, skydive e pontes, a minha parte favorita desse lugar foi as amizades que fiz. De todo meu coração: Obrigada seus lindos!


Saiba mais sobre Avignon, Fraça

E depois agende seus guias turísticos aqui!

Contribua com o meio ambiente

  • Leve seu lixo
  • Recolha lixo se for possível
  • PRESERVE SEMPRE A NATUREZA

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *